Narciso (os escorpianos pt.2)


Entre eles, nada de sinto-muito-perder-você.
Se ela não se importava, ele ia mostrar-lhe que...
Só que nunca mostrou.
É claro que ele se importava muitíssimo.

As coisas de formas estranhas que guardei, fósforos da pizzaria, algumas flores murchas colhidas junto a porta por onde você não pode entrar, um graveto daquele ponto da praia onde você disse pela primeira vez que era solitário, uma chave de quarto de hotel enfiada no envelope de uma passagem de avião. Acho que você guardou a lembrança do meu ultimo sorriso que toma tão pouco espaço em seu livro de recortes.

Comentários

Bru disse…
Tocante diria, guria.

Postagens mais visitadas