quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Impala (bordo)


Será que dava pra viver um amor com um possível prazo de validade? Não sei, tudo que poderia se realizar ia se perder depois, apartamento alugado, memorias esquecidas pela quantidade de álcool ou fumo, nem um filho para pensar que aquilo tinha sido consumado. Não sei viver menos, e muito menos em contagem regressiva. Se eu penso em desistir? Pra mim isso nunca foi uma opção real mesmo, boy, mas tem horas que eu penso, mais devagar coração, cuidado pra não bombear tanto sentimento assim. Mas a gente não ia devagar, e nessas horas em que se lembrava da perda, doía, doía por esquecer de não ser rápido demais, senão esses 3 anos iam passar em 1 mês, meu relógio natural invertia com você, parecíamos estar nos encontrando agora, mas a verdade é que o tic tac andava e ai doía. 

Não pensava em desistir, não pensava em quase nada porque amanha não ia fazer diferença. Se amariam até o ultimo dia.

Nenhum comentário: