quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Impala (por toda minha vida)

Stage. O sol brilhava lá fora e o céu continuava bonito, de um cinza azulado, certeza que estava lá. No radio, Neil Young, ele com aquela cor vermelha me testando. Os casais se beijavam ao redor, provocando a aparente dança do acasalamento e me provocando uma nova nostalgia, tinha certeza de algo que não sabia o que era, mas o céu estava lá, certeza que estava lá. Eu tomava um grande gole de café, com toda falta de humildade que me restava, deitava no chão, ele pegava sua guitarra preta, arranhava uma nova calçada, its time to go home now, e eu levava ele pra casa, colocava a mão na testa fria e fechava a boca, o sol brilhava lá fora, as luzes piscavam, eu colocaria ele novamente na cama, stage two, e ele estava tão bonito nessa noite.

Nenhum comentário: