segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Impala (62.000)

- "Eu não tenho apego pela felicidade de estar do seu lado. Isso faz com que eu seja livre de você seja livre de mim."
- Hum.. parece que ficou bom mesmo.
- Isso acabei de escrever.
- De qualquer forma, muito bom... Mas discordo.
- Em qual parte?
- Livre sempre somos, independente do apego. O que faz nos procurar não é isso.
- "Você é um espelho que se reflete o meu reflexo do seu avesso". Respeito.
- Você ainda deseja alguma coisa comigo?
- Sabe o que eu acho?
- Não.
- Quer saber?
- Sim
- Que você que quer algo comigo. Mas ontem foi um clichê.
- Não discordo.
- E tenho certeza que você vai negar até a morte. Respeito.
- Não vou negar.
- Pensa: o fato de não ter acontecido Tudo. Foi por que você teve medo de gostar demais e isso te complicar. Isso é uma visão analítica não me entenda como me achando o rei da cocada preta. Não penso isso de mim.
- Acho que todas nossas relações são por interesse, então claro que eu quero algo com você, o que, ainda não defini. Como pessoas acho que nos daríamos muito bem, então não há motivo pra não tentar nem ao menos uma amizade. Sobre o medo já discordo. Primeiro porque não foi medo.
- Espera! Não se justifique. Não precisamos disso. O que você acha de você não vai mudar o que eu acho de você.
- Estamos só tendo uma conversa. Você disse o que pensava e eu estou dizendo o que penso. Só isso.
- Mas isso dito agora soa como justificativa. Me fale depois.
- Ok.
- Olha, tive uma ideia.
- Sim.
- Posso te ligar e ler pra você?
- Pode.
- Antes que a chuva acabe! I'm calling.

- Odeio viva voz. Alguma coisa que você gostou dessas besteiras que sempre escrevo?
- Queria saber se você virou o olhinho quando terminou de ler pra falar que terminou.
- Meus olhos não tinham motivação para o que olhar. E se eles virassem te procurando certamente iriam se revirar e volta para baixo em pranto, pensando: - Ela não esta lá.
- Claro que tudo é muito relativo,  mas HOJE eu gosto de você.
- Mulheres... Sempre com esses bi bi bis de gosto de você, adoro conversar com você... A sensação que tenho é que você gasta muita energia para não escrever nada que deixe a entender coisas a mais.
- Não gasto energia. Gastaria energia querendo que você entendesse algo.
- Você é uma figura! Pena que gostaria muito de fazer sexo com você. PENA!
- Sexo é tao inútil assim. A não ser que você estivesse muito tempo sem. Necessitado ou algo assim.
- Muito pelo contrário. Usei no nosso caso a palavra sexo para retratar a rendição do seu consciente e o êxtase da sua entrega...
- Interessante. Mas ainda não faria isso. Por um simples fato de não querer. Aí não ia ser uma rendição.
- Seria tudo tão mais lindo se você fosse sincera.
- Seria tudo lindo pra você se eu te quisesse fisicamente.
- Está caindo em contradição o tempo todo. É por isso que confio mais no seu olhar de jabuticaba!
- E ele diz alguma coisa?
- Isso não posso te falar. Acontece que acho que você está se sentindo sem armas para duelar.
- Isso é um duelo mental então?
- Não. Isso chama flerte, jogo da sedução...
- E talvez o flerte o jogo de sedução, enfim, você pode estar jogando sozinho.
- Não estou tentando te seduzir em nada. Não faz meu tipo convencer as pessoas de que sou bom pra elas. Ou elas querem estar comigo ou não. E se não, não to nem ai.
- Lindo você assim.
- Assim como?
- Assim "to nem ai". Mas é forçado.
- Você pode estar certa.
- Você vai sumir?
- Você se importa?
- Não
- No fundo eu prefiro te odiar.
- É mais divertido.
- Eu sou insignificante na sua vida. Ódio, amor, tanto faz.
- E deixa adivinhar, você ta nem ai com isso?
- Nada. Você é legal. Foi bom te conhecer.
- Te surpreendi?
- Não. Vai sumir? E sim. Me importo com isso ou pelo menos não quero que isso aconteça.
- Não vejo porque sumir. Podemos ter uma boa amizade.
- E você quer isso?
- Claro, porque não?
- Essa pergunta é pra mim ou pra você?
- Para os dois...
- E qual é sua resposta?
- Que sim, quero isso.
- O que você quer mim?
- O que que quero especificamente não sei, mas por enquanto tá bom o que a gente tem. Talvez quando você me fizer falta eu saiba melhor.
- Ok.
- Tenho uma coisa pra você ler.
- "E era isso, a gente tinha que se acostumar a não ir com muita sede ao pote, embora fosse de natureza escorpiana. Só que era quase engraçado esse nosso instinto, a gente não se permitia ficar parada, era como uma tempestade sempre, saca, e quando abaixava a poeira só se via destruição. É. Quando a gente não tem quem machucar, machucamos nós mesmos, eu sei. Ai tocava November Rain no fundo, a gente dançava lentamente, e tinha toda aquele suspense no ar, éramos fingidos a misteriosos, éramos bastante fingidos num total. Talvez fosse outra raça, ou talvez fossemos tão normais quanto o resto. Não, definitivamente éramos outra raça, pelo menos era mais bonito assim."
- Gostei.
- Não gosto muito desse texto. Gosto só da parte: "éramos fingidos a misteriosos, éramos bastante fingidos num total."
- Eu tenho outro texto: " Dessa vez não vou evitar dizer o que está na minha cabeça só porque eu sei que minha mente geminiana vai negar no dia seguinte, não fugirei de palavras bonitas porque quem diz não é uma pessoa perfeita, não arrumarei mil defeitos pra brigar contra as novecentas e noventa e nove qualidades, não desviarei meus olhos por medo de ter minha mente lida, não sumirei por medo de desaparecer, não vou ferir por medo de machucar, não serei chato por medo de você me achar legal, não vou desistir antes de começar, não vou evitar minha excentricidade, não vou me anular por sentir demais e logo depois não sentir nada, não vou me esconder em personagens, não vou contar minha vida inteira em busca de ter realmente uma vida."
- "Dessa vez não vou querer tudo de uma vez, porque sempre acabo ficando sem nada no final. Estou apostando minhas fichas em você e saiba que eu não sou de fazer isso. Mas estou neste momento frágil que não quer acabar. Fiquei menos cafajeste, menos racional, menos eu. E estou aproveitando pra tentar levar algo adiante. Relacionamentos que não saem da primeira página já me esgotaram, decorei o prólogo e estou pronta pro primeiro capítulo."
- Acho que resume muita coisa, embora seja um resumo cheio de detalhes.
- É, eu acho que o tempo e a melhor solução pra tudo
- Acho que a nossa vontade e ação é a solução. Não pra tudo, mas nesse caso.
- Você é linda.
- Não sou. Nem por dentro nem por fora.
- Por dentro você não é MESMO.
- Eu sei.
- Gostou de ter me beijado?
- Pra ser sincera, não. Mas é porque não queria.
- Então porque fez ?
- Porque foi o envolvimento. Fui levemente seduzida.
- Posso te fazer uma proposta?
- Faz.
- Temos uma ótima afinidade. A única coisa que atrapalha é essa merda de relacionamento H e M. Esquecemos ontem (essa parte) e seguimos adiante. Amigos, bons amigos, sem mais, "se" ou talvez.
- Ok.

Nenhum comentário: