domingo, 16 de outubro de 2016

A calmaria

Eu não sei o que sonhei de errado. Acabou. Sumiu como se nunca tivesse existido. Esses dias, eu ando fazendo muito isso, tenho pensado nessas frases perfeitas antes de dormir, achando que vou me lembrar no dia seguinte. E já faz uma semana que eu sinto esse cheiro de tinta perto de mim, como se fosse da minha boca, do meu cobertor, do meu sofá. Faz duas semanas que você não diz nada sobre mim, como se eu nunca tivesse existido. Assisti um filme, 500 dias of Summer, porque os títulos nunca são fiéis. Não é bom, mas não é convencional também. E eu gosto de Smiths. Gosto da tristeza e gosto de Hemingway. Eu gosto daquele cara que diz que felicidade tem a ver com a serenidade, não, a felicidade não existe, existe a serenidade, algo sim. E cara, eu experimentei uma dose disso. Desce macio como um bourbon, foi antes de você. Depois eu engasguei, tossi alto e sonhei errado.

Nenhum comentário: