Clarear

Não doeu, não boy, foi parte frustrante, parte alívio. Mas o universo encontra formas de te deixar mais egoísta. O fim é sempre o começo, não é? Então, eu decidi falar do outro você. Uma coisa que eu aprendi é que magia tem fim, boy. E esse fim chama realidade. Aquela mesmo, parte dura, parte cruel, a pura verdade. Mas a realidade, assim como a magia e o universo, também encontram formas de te deixar mais egoísta. O fim é sempre o começo, não é? Então, eu decidi falar do outro você. Estou pensando numa forma encriptada de falar de você. O cheiro de mar está impregnado mesmo a quilômetros de distancia. Dá vontade de ser um pouco Djavan, castelo de areia-ira de tubarão-ilusão. Falta clarear as ideias. Falta você falar mais, eu te ver mais, mesmo não te vendo mais. Porque quando a gente escreve sobre os outros, também encontramos formas de ser egoísta. Dá vontade de partir do fim só com o frescor do começo. Então eu decidi falar do outro você. 

Comentários

Gustavo disse…
Este comentário foi removido pelo autor.

Postagens mais visitadas